Empreendedorismo social é um termo que significa um negócio lucrativo e que ao mesmo tempo traz desenvolvimento para a sociedade. As empresas sociais, diferentes das ONGs ou de empresas comuns, utilizam mecanismos de mercado para, por meio da sua atividade principal, buscar soluções de problemas sociais.

Deseja usar nossa ferramenta gratuita ''LIGUE PARA MIM''? Te ligamos em até 90 segundos:

Qual sua disponibilidade de investimento:





Termo de ciência: A Brasil Social ® é livre para selecionar candidatos de acordo com critérios estratégicos do setor de análise, seleção e expansão. Podendo a qualquer tempo, recusar candidatos sem o perfil de habilidades mínimas para fazer parte do negócio.



OPÇÃO DE INVESTIMENTO 1 PARA A MICROFRANQUIA BRASIL SOCIAL

 Brasil Social Franchising ® a partir de R$104.000 (Cidades até 500 mil habitantes). 

RETORNO DO INVESTIMENTO de 12 a 18 meses.

 FATURAMENTO MÉDIO MENSAL R$30.000 

Taxa de Franquia R$34.000 (Parcelamos em duas vezes sem juros acima de 05 franquias deste modelo).

OPÇÃO DE INVESTIMENTO 2 PARA A FRANQUIA BRASIL SOCIAL

Brasil Social Franchising ® a partir de R$204.000 (Cidades de 500 mil até 1 milhão de  habitantes).

RETORNO DO INVESTIMENTO de 18 a 24 meses

 FATURAMENTO MÉDIO MENSAL R$60.000

Taxa de Franquia R$64.000 (Parcelamos em duas vezes sem juros acima de três franquias deste modelo).

OPÇÃO DE INVESTIMENTO 3 PARA A MASTER FRANQUIA BRASIL SOCIAL

Brasil Social Franchising ® a partir de R$404.000 (Cidades acima de 1 milhão de  habitantes).

RETORNO DO INVESTIMENTO de 24 a 36 meses

FATURAMENTO MÉDIO MENSAL R$150.000

Taxa de Franquia R$94.000 (Parcelamos em duas  vezes sem juros acima deduas franquias deste modelo).


seleção de candidatos franquia BRASILSOCIAL.ORG

Conheça abaixo quais são as etapas do processo de seleção da franquia Brasil Social:

1. Contato Inicial
2. Apresentação do negócio
3. Reunião de apresentação
4. Reunião de entrevista
5. Envio da COF (Circular de Oferta de Franquia) 
6. Análise do Ponto
7. Assinatura de contrato

Perfil do Franqueado BRASILSOCIAL.ORG

Conheça o perfil que a franquia Brasil Social procura para seus franqueados:

1.Espirito empreendedor
2.Identificação com o tipo de negócio
3.Capacidade de vendas para empresas
4.Foco na área comercial
5.Disciplina e comprometimento com o negócio
6.Gerenciador e motivador de equipes 


   

Franquia brasilsocial.org

Você sabe o que é franquia?



Franquiafranchising ou franchise [francháiz][1] é uma estratégia utilizada em administração que tem, como propósito, um sistema de venda de licença na qual o franqueador (o detentor da marca) cede, ao franqueado (o autorizado a explorar a marca), o direito de uso da sua marcapatente, infraestrutura, know-how e direito de distribuição exclusiva ou semiexclusiva de produtos ou serviços. O franqueado, por sua vez, investe e trabalha na franquia e paga parte do faturamento ao franqueador sob a forma de royalties. Eventualmente, o franqueador também cede ao franqueado o direito de uso de tecnologia de implantação e administração de negócio ou sistemas desenvolvidos ou detidos pelo franqueador, mediante remuneração direta ou indireta, sem ficar caracterizado vínculo empregatício.

É obrigatória a apresentação de uma circular de franquia pelo franqueador, indicando as condições gerais do negócio jurídico. Embora possibilite retorno mais rápido, a compra de uma franquia geralmente exige um investimento inicial alto, pois é preciso prever custos com local de instalação, equipamentos e pessoal.

As técnicas, ferramentas e instrumentos utilizados nas melhores redes de franquias vêm sendo utilizados para otimizar o desempenho de outros tipos de canais de vendas, como redes de revendas, de representantes comerciais, de assistências técnicas, de distribuidores e outros.[2]

A primeira empresa a implementar o sistema de franchising no Brasil foi o Yázigi Internexus, em 1950.


    TIPOS

    Podemos considerar três tipos de franchising como estes:

    Franchising de distribuição

    O franqueado comercializa um produto fabricado pelo franqueador, sob a marca do qual é titular o último, beneficiando-se de assistência técnica e comercial.

    Franchising de serviços

    O franqueado presta um serviço, através de uma marca ou nome comercial licenciados pelo franqueador, com base nas diretrizes estipuladas pelo último.

    Franchising de indústria

    O franqueado fabrica, ele próprio, o produto a comercializar, sob uma marca ou nome comercial, segundo as indicações do franqueador.

    VANTAGENS DA IMPLEMENTAÇÃO

    • Possibilidade de abertura de negócio sem necessidade de experiência empresarial no setor;
    • Redução do risco envolvido, face a utilização de conceito de negócio já experimentado e com sucesso;
    • Benefício e aproveitamento de marca já com notoriedade no mercado;
    • Formação inicial e de forma contínua;
    • Existência de ferramentas de gestão, informação disponível sobre volume de vendas, número de clientes, percentagem de lucros obtida, percepção das preferências, hábitos de consumo, gestão do ciclo de rotação dos estoques e das necessidades de reposição;
    • Aproveitamento dos canais de distribuição e logística existentes, permitindo a adoção de preços competitivos e com ganhos de escala nas encomendas;
    • Os estudos de mercado elaborados são compartilhados na rede existente, permitindo investimentos em publicidade financeiramente sustentáveis;
    • Melhor acesso na compra, ou aluguel de espaço, em resultado da existência de marca reconhecida;
    • Apoio técnico, administrativo e de gestão, inclusive na seleção do espaço, de acordo com critérios de área, localização e acessibilidades;
    • Sinergias na resolução de problemas que em outras unidades da rede já tenham ocorrido;
    • Aproveitamento do recrutamento de recursos humanos, pois é mais acessível trabalhar em rede conhecido, do que em unidade do mesmo ramo mas com pouca notoriedade;

    BENEFÍCIOS PARA O FRANQUEADOR

    • O franqueado financia grande parte da expansão, não necessitando o franqueador de capital avultado;
    • Concentra-se na produção e desenvolvimento de novos produtos e serviços;
    • Os franqueados atingem resultados superiores aos obtidos por unidade própria, sendo parceiros altamente moralizados e motivados;
    • Existe a criação de um canal de distribuição fluido, eficiente e diferenciado;
    • A imagem da marca sai cada vez mais reforçada, pois é associada ao know-how, à força do trabalho e aos relacionamentos locais do franqueado;
    • Existe uma descentralização da estrutura, gerando benefícios em termos de custos fixos menores do que com unidades próprias;
    • Possibilita ganhos acrescidos em economias de escala;
    • O sistema possibilita expansão de mercado de forma rápida, pois a abertura de novos espaços é célere;
    • Viabiliza ações de promoção e de marketing de forma conjunta e coordenada.

    LEGISLAÇÃO

    EM PORTUGAL

    Na legislação portuguesa, não existe um padrão neste tipo de negócio. Trata-se de um contrato inominado, uma vez, que não é regulado por quaisquer preceitos legais específicos, encontrando-se, portanto, na esfera da autonomia negocial das partes.

    Em virtude de não haver legislação nacional específica sobre o contrato de franchising, os membros da Federação Europeia de Franchising, da qual Portugal é membro, acordaram um Código de Deontologia que está em vigor desde de o mês de janeiro de 1991. Os membros da federação impõem-se a obrigatoriedade de respeitá-lo.[3] O código é constituído por seis artigos:[4]

    1. Definição de franchising;
    2. Princípios orientadores;
    3. Recrutamento, publicidade e divulgação;
    4. Selecção dos franqueados;
    5. O contrato de franchising;
    6. Master franchising.

    Em meados de 2000, a Associação Portuguesa de Franchise (APF), em parceria com a Empresa Internacional de Certificação S.A. (EIC), lançou-se num projecto pioneiro a nível mundial, que consistia na criação de uma Certificação de Serviços para o sistema de Franchising, com o objectivo de disponibilizar ao mercado português um instrumento oficial, credível e independente, que possibilitasse distinguir as marcas que aplicassem as consideradas boas práticas de franchising. Em Dezembro de 2003, a Certificação do Serviço de Franchising passa a ser homologada pela Acreditação do IPQ, passando Portugal a ser o primeiro país do mundo a dispor duma Certificação para o Franchising, homologada pelo organismo governamental responsável pelo Sistema da Qualidade nacional respectivo.[5]


    NO BRASIL

    Na legislação brasileira, a Lei 8 955/94, de 15 de dezembro de 1994, dispõe sobre o contrato de franquia empresarial (franchising) e dá outras providências. O estado de São Paulo detém 56,9 por cento das franquias do país,[6] setor que cresceu 20,4% no Brasil em 2010.

    Existem outras formas de licenciamento de marcas, mas somente as que cumprem o disposto na lei supracitada podem ser tratadas como contratos de franquia.


    TIAGO SZYMEL DIRETOR GERAL contato@brasilsocial.org